domingo, 18 de junho de 2017

O Brasil será sede do XIII Congresso Mundial de Medicina Intensiva


Entre os dias 08 e 11 de novembro de 2017 vai acontecer o XIII Congresso Mundial de Medicina Intensiva. O evento será promovido pela World Federation of Societies of Intensive and Critical Care (WFSICCM) e pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) e será realizado pela primeira vez no Brasil, sendo o Rio de Janeiro a cidade sede.  

domingo, 12 de março de 2017

Você sabe o que é hiperatividade simpática paroxística?


A hiperatividade simpática paroxística, também conhecida como tempestade simpática, convulsões diencefálicas, tempestade autonômica, síndrome de disfunção autonômica, instabilidade autonômica paroxística com disautonomia ou simplesmente disautonomia, é uma complicação relativamente frequente em neurointensivismo. Os episódios são vistos em até um terço dos pacientes com trauma cranioencefálico grave e doença axonal difusa; e também podem ser secundários a outros eventos, como encefalopatia hipóxico isquêmica, hemorragia subaracnóide, hematoma intraparenquimatoso ou hidrocefalia, porém de forma menos frequente.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Disfunção cognitiva em pacientes graves: publicado estudo com novas evidências que vão mudar nossa maneira de ver este problema.


O estudo Long-term cognitive outcomes among unselected ventilated and non-ventilated ICU patients, foi publicado ontem no site Journal of Intensive Care (Publicação oficial da The Japanese Society of Intensive Care Medicine). 
O que já sabiamos sobre o tema?
No estudo prévio de maior significância sobre o tema, Pandharipande et al. (N Engl J Med 2013) relataram uma maior incidência de disfunção cognitiva de longa duração em uma amostra de 821 pacientes internado em UTI. Entretanto, ...

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Disfunção cognitiva após a internação em UTI: novas evidências que vão mudar a maneira como pensamos a vida após a UTI


         Caros amigos, saudações intensivas, estamos entrando em uma nova era na Medicina Intensiva.  Nos primórdios do tratamento dos pacientes graves, a meta era sobreviver à fase aguda da doença.  Com o avançar do tempo,  dos conhecimentos e tecnologias aplicadas no tratamento destes pacientes,  reformulamos nossas metas e, ultimamente, temos nos preocupado mais com o que acontece aos nossos pacientes em fases posteriores à internação na UTI. Agora, compreendemos que o desfecho de uma doença grave não é tão binário como alta ou óbito. Muito além disto, ...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

As novas recomendações do Surviving Sepsis Campaign 2016 - Parte 1.


A sepse, definida pela presença de disfunção orgânica consequente a uma resposta desregulada do hospedeiro à infecção, apresenta elevada letalidade e impacto negativo em qualidade de vida dos pacientes.  A síndrome acomete milhões de pessoas todos os anos e o tratamento adequado pode salvar vidas.

Recentemente publicadas, as novas diretrizes da campanha mundial de sobrevivência à sepse atualizaram as recomendações de 2012. Seguem as principais recomendações, às quais devem orientar as equipes no manejo desta síndrome complexa...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

A triste realidade da saúde pública no Brasil.



" De todas as formas de desigualdade, a injustiça na saúde é a mais chocante e desumana." - Martin Luther King Jr.

Assim começa o editorial "All in a Day’s Work — Equity vs. Equality at a Public ICU in Brazil" (Tudo em um dia de trabalho - Equidade X Igualdade em uma UTI pública no Brasil) publicado esta semana no The New England Journal of Medicine e escrito pela Profa. Dra. Flávia Ribeiro Machado, médica intensivista e professora adjunta livre docente e chefe do Setor de Terapia Intensiva da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva da Universidade Federal de São Paulo.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Monitorização não invasiva da perfusão periférica


Em condições fisiológicas, graças à capacidade intrínseca de autorregulação, o fluxo sanguíneo tecidual se mantem constante independente das variações de pressão e pode aumentar ou diminuir de forma a atender a demanda metabólica de cada órgão. Porém, em casos extremos de hipotensão ou hipertensão o fluxo passa a ser dependente da pressão de perfusão e não mais da capacidade de autorregulação local. Nesse ponto, o organismo não consegue mais direcionar o fluxo conforme a demanda (1).

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Reunião clínica: "Manejo da temperatura em paciente neurológico".



Acompanhe a última reunião clínica do ano do setor de Medicina Intensiva da Disciplina Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva UNIFESP, apresentada no dia 23/11/16.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Seis princípios da ressuscitação volêmica.


Os avanços tecnológicos no suporte avançado de vida praticados nas unidades de terapia intensiva (UTI) garantem alicerce fisiológico temporário para pacientes com disfunções orgânicas múltiplas. Com a introdução do cateter de artéria pulmonar no início dos anos 70, a terapia intensiva passou por uma fase agressiva de suporte, principalmente no contexto de ressuscitação volêmica.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Dúvida a procura de respostas: Como determinar a origem da febre no paciente neurocrítico?

         

Artigo escrito pelo Dr. Hugo Lima, médico especializando em medicina intensiva, baseado nas discussões do Clube da Revista do Programa de Especialização em Medicina Intensiva – PEMI do Hospital São Domingos, em São Luís-MA. A equipe do blog agradece sua excelente colaboração.

            No dia-a-dia do intensivista, não é raro deparar-se com desafios diagnósticos e casos difíceis, muitas vezes num contexto em que qualquer falha ou deslize pode representar piora clínica ou mesmo a morte de um paciente. Especificamente no caso dos doentes neurocríticos, o surgimento de febre nos primeiros dias de internação em UTI nem sempre tem sua origem claramente estabelecida.
Vítimas de TCE grave, hemorragia intraparenquimatosa / subaracnoide ou encefalopatia de causas diversas podem apresentar alterações no centro termorregulador, levando à elevação persistente da temperatura corporal, não obstante medidas clínicas para controle da febre.

domingo, 30 de outubro de 2016

Drogas vasoativas em revisão – Parte 1.


O choque circulatório é a síndrome resultante da falência do sistema cardiovascular em manter a perfusão tecidual adequada. A prioridade inicial do tratamento é manter a estabilidade hemodinâmica, enquanto a etiologia do choque é investigada e o tratamento definitivo é providenciado. O suporte hemodinâmico é baseado principalmente em três intervenções: reanimação volêmica, vasopressores e inotrópicos. Quando a administração de fluidos não consegue restaurar a pressão arterial e a perfusão tecidual, a terapia com drogas vasoativas deve ser considerada (1).

domingo, 23 de outubro de 2016

Abertas as inscrições para o processo seletivo 2017 da UNIFESP - Residência Multiprofissional

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo 2017 da Residência Multiprofissional da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).
As incrições iniciaram 20/10/16 e vão até 16/11/17, feitas exclusivamente pela internet, no site da Fundação VUNESP


Residência Médica em Terapia Intensiva na UNIFESP - inscrições abertas para o Processo seletivo 2017

 Estão abertas as inscrições para o processo seletivo 2017 da Residência Médica em Terapia intensiva da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).
 As incrições iniciaram 07/10/16 e vão até 04/11/17, feitas exclusivamente pela internet, no site da COREME – UNIFESP, nos endereçoswww.coreme.epm.br ewww.coreme.fapunifesp.edu.br.




Sobre a residência


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

sábado, 8 de outubro de 2016

Reposição volêmica em revisão.


A infusão de fluidos é uma das intervenções mais comumente usadas em pacientes graves e parte fundamental do suporte hemodinâmico em unidades de terapia intensiva. A despeito de diversos estudos recentes sobre o tema, a prática atual sobre a administração de fluidos permanece altamente variável.

sábado, 1 de outubro de 2016

sábado, 24 de setembro de 2016